Arquivo | dezembro, 2012

2012-2013

20 dez

A conclusão final sobre o ano que passou resume-se em duas palavras: intensidade e mudanças.

Pela primeira vez em muitos anos de existência eu fiz o que eu tinha que ter feito e eu retomei o controle sobre a minha vida.

Eu olho a pessoa que eu era (até bem pouco tempo atrás) e percebo que eu estava completamente presa em padrões de comportamento ruins. Eu fazia escolhas ruins e administrava as consequências destas escolhas de forma ruim.

Não me arrependo de absolutamente nada, em toda a minha existência. Eu fiz o que eu tinha que fazer, vivi o que eu tinha que viver e só estou aqui neste momento tirando todas estas conclusões porque fui lá, vivi, bati a cabeça, vivi, bati a cabeça, vivi, bati a cabeça de novo e aprendi.

Eu me sinto mesmo como tendo vivido uma metamorfose, troca de pele completa. É uma nova fase, novos padrões de comportamento e hoje com muito mais muito muito muito muito mais clareza sobre quem eu sou e o que eu quero.

2012 é o fim do mundo prá mim. 2013 um novo mundo. E eu estou cheia de expectativas e planos e eu estou muito otimista. Muito mesmo. Porque é como se eu tivesse desbloqueado tudo o que me impedia de fazer tudo o que eu sempre quis fazer. O que é melhor prá mim e o que vai manter essa PAZ que invadiu a minha existência.

Ano que vem eu vou selar as metas desse ano:

Vida saudável e corpo bonito

Coisas em ordem (casa, roupas, contas, etc)

Mais leitura, mais cultura

Mais amigos, mais pessoas, mais conversas, mais troca

Menos ciúme, menos projeções, menos neuroses

Mais equilíbrio emocional, paz no coração e sabedoria nas decisões.

Machismo e relacionamentos

14 dez

Você quer uma mulher emocionalmente independente e sexualmente bem resolvida, que seja tranquila e deixe você exercer toda a sua masculinidade?

Uma mulher incrível, segura, de bem com a vida, que permita que você viva plenamente a sua vida de HOMEM, com seus amigos, cervejas, futebol e muitas vezes até a liberdade de, por exemplo, ir a um puteiro com os amigos (só prá dar risada).

Mas ao mesmo tempo você é machista e classifica como vagabundas as mulheres emocionalmente independentes e sexualmente bem resolvidas. Você não permite que a mulher viva a mesma liberdade que você vive.

Não estou falando da banalização das coisas, mas é fato que a maioria dos homens ainda espera das mulheres (as mulheres prá namorar, né) padrões de comportamento muito conservadores.

Vocês homens são os grandes culpados pelas mulheres neuróticas e dependentes que azucrinam as suas vidas. E é assim que os relacionamentos se transformam em prisões emocionais.

8 dez

hoje eu acordei a cassinha tava na sala acordada já. aí ficamos aí, fizemos almoço e bla bla bla bla, ela se foi, coloquei um som alto fiz uma semi faxina e agora dei uma sentadinha no sofá.

tomei um banho de garoa mais cedo também, ali no quintal, uma garoinha bem fina, com um solzinho rolando

me distraí, não terminei o post e agora depois de algumas horas voltei aqui e não quero escrever mais nada que tô com preguiça