Arquivo | novembro, 2012

sábados

17 nov

Sábados são dias felizes.

Dormi cedo ontem, acordei cedo, já ajeitei a casa toda e pretendo lavar as calçadas (pretendo…).

E aí, como sempre quando estou sozinha, eu comecei a pensar e pensar e pensar e pensar, e são pensamentos bons, e é sobre isso que eu quero falar: pensamentos bons.

Pensar coisas boas, produtivas, refletir profundamente sobre as coisas, você com você mesma, é tão, mas tão gostoso. E ter aprendido a conversar e permanecer comigo foi sem dúvida uma das maiores vitórias desse ano de 2012.

O mundo acabou mesmo prá mim. E começou outro. Não que o anterior fosse ruim. Meu mundo era massa, mas abraçar as inevitáveis mudanças é uma atitude que pacifica o coração. E eu mudei e tô feliz por ver a minha vida mudar, sem preocupações, sem azucrinar prá que o outro mude com você. Cada um é cada um e um relacionamento jamais pode se tornar uma prisão.

 

Anúncios

felicidade!

14 nov

Meus dias tristes são bem tristes. Mas é uma tristeza muito consciente, muito compreendida, digamos assim. Eu sinto ela, me permito, deixo que o choro venha, mando tudo prá fora. Mas eu raciocino, converso comigo mesma, literalmente, e faço pequenas coisas que sei que vão me ajudar, e tudo se resolve. A certeza é nossa amiga.

E então eu volto a sentir o que tô sentindo agora. Sozinha em casa, som altíssimo, etc (lakjdsalkja), e a felicidade vem e toma conta. E eu não estou sentindo mais culpa por estar feliz. A culpa desapareceu completamente. Porque todos podem ser felizes, inclusive eu, e isso é uma coisa boa! Culpa só atrapalha a vida da gente. Além disso, vencer aqueles sentimentos feios que aparecem às vezes, é tão bom. Muito melhor ser feliz, então sejamos 🙂

 

é só o amor

13 nov

Gosto de ver as pessoas bem e gosto de estar bem. 

Se uma briga é necessária para um bem maior (reforço, um BEM maior), eu encaro de frente e não tenho medo não.

Mas brigas banais e desnecessárias, ou simplesmente brigas feias, não me agradam.

Não gosto de guardar rancor, nem de ter inimigos. 

 

 

 

virada cultural curitiba

11 nov

Gente pelas ruas, muito amor no coração!

A cada trecho um abraço, conversas desconexas e muito divertidas, amizades instantâneas, risadeira da braba, histórias e pessoas curiosas em todo o lugar.

É bom estar em casa bem sossegadinha nesse domingo, mas valeu valeu valeu 🙂

lições

10 nov

Esse ano foi intenso.

Decidi recuperar a minha vida e tudo o que faz parte dela. Tudo o que representa a minha existência nesse mundo. Foram muitas mudanças e mesmo ainda um pouco perdida, tenho o conforto da certeza de que tô no caminho certo. 

Certeza, querida, me abrace, eu te amo.

 

 

música música música

5 nov

Eu nasci e cresci em Canoinhas, uma cidade culturalmente bastante prejudicada. Por isso durante muitos e muitos anos da minha vida eu fui alienada musicalmente. Até em show do Capital Inicial (argh) eu já fui.

Eu era uma ignorante musical e graças à cidade de Curitiba e graças aos amigos que fiz aqui, hoje eu não sou mais. Nunca vou esquecer do Linão, me explicando a diferença entre música de qualidade e música comercial.

E como tudo nessa vida, é uma questão de educação. Você aprende, então “enxerga” e seus ouvidos simplesmente não aceitam mais qualquer porcaria.

Agora eu ando de ônibus, pelas ruas, na hora da corrida, na hora do banho, sempre ouvindo música.

E a vida é infinitamente mais bonita com uma boa trilha sonora.

paz

2 nov

Vim registrar quão bem eu estou me sentindo. Não estou eufórica, feliz, radiante, saltitante. Eu estou bem. Bem com as minhas tristezas, saudades, culpas, medos, e com as alegrias, novidades, coisas boas.

Não tô lidando muito bem com essa timidez ridícula que resolveu me possuir na casa dos 30, mas eu vou superar e voltar a ser um pouco do que eu era, somando com tudo o que eu aprendi depois.